Páginas

24 de fev de 2012

PORTUGAL - Cabo da Roca






“Cabo da Roca” era o que dizia uma placa indicativa em uma pequena estrada de acesso que nos desviou do caminho 
Sintra - Cascais. Já quase anoitecendo, encontraríamos a esquina dos continentes,  uma extremidade de Portugal onde o continente europeu mais se aproxima do nosso.Ventos de arrastar tudo pela frente. Sensação de liberdade!  Vontade louca de dançar no vento!

Você me diz que Cabo da Roca lembra a roca de fiar. Coisa de conto de fada. Princesa furando o dedo. Sono de 100 anos. Praga de bruxa.
Em meio à ventania, encontramos o farol e também a roca de fiar, enferrujada, esquecida no tempo. Do chapéu de bruxa, só sobraram farrapos. Os contos foram deixados para trás. Príncipes só tem graça em livros. A menina acordou por si mesma. Tinha talentos a descobrir e muito o que treinar nos caminhos do coração. 
O  amor havia de encontrá-la viva, desperta, plena.

Demos as mãos pra não sair voando...
Cabeças cheias de estórias...Cabelos de vento....




Um comentário:

  1. Oi! Meu nome é Igor, sou brasileiro e acabei de adquirir parte de uma roca de ferro e toda enferrjada. Ao buscar no google sobre, achei seu blog. Assim, fiquei curioso: vc poderia postar uma foto, ou mais, dessa roca que desceveu, caso vc tenha tirado?

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu recadinho e email: